segunda-feira, 3 de junho de 2019

Projetos



História das sinapses e a escola

Todos os livros Heleneo Pinhal

19. Sonetos - Obrifado Beijos e desejos 2008-05-19 - data
18. Higiene Mental Poesia
17. As minhas dedadas (42p) 2017-07-13 ---
16. Para que a beleza não murche (35p) 2015-05-29 - 2017-07-12 2 anos
15. A Fada das Cócegas (64p)- Lia 2014-08-22 - data
14. Mental Mente (119p) 2014-06-26 - 2015-05-28 1.0 ano
13. Na boa órbita dos ouvidos (121p) 2012-01-21 a 2014-06-23 2.0 anos
12. Avanços na relação cabeça coração (081p) 2009-09-03 - 2011-07-02 2 anos
11. Máquina de relâmpagos (87p) 2009-01-04 - 2009-09-02 - 8 meses
10. Cavalo-Marinho (108p) 2006-04-07 - 2008-12-29 2.6 anos
09. Que bonitas são as letras - Poesia 2016
08. Daqui a 500 anos não há papel (30p) 2007
07. Análise Educacional Aplicada (52p) 2005 Arranjar
06. Tu sem mim não sou nada (35p) 2008-11-12 - 2010-12-19
05. Corpo de Água num Copo de Carne Humana (84p) - 2008 Poesia 2006-12-31 a 2008-06-10
04. Incompleto Organismo (44p) 2004-03-28 a 2006-04-26
03. Farolas (60p) 2003 - Sem datas
02. Covilhã Viperina (76p) 2002-10-16 a 2004-04-30
01. Comenos Helenísticos (52p) 2002 - Sem datas

À conquista do auditório (16p)



Títulos livros não usados
Caderno do meu funcionamento. 
As ideias têm sexo?
Preciso que o mundo pare (para o compreender)
Corolários simples com axiomas inquestionáveis. 
Escrita com boca (e senhora da felicidade que nos toca)
Com um frio de literatura e agulha cozo o dia de forte
O espaço psicológico que por ser ser sou obrigado a ter. 

Títulos livros - já tive estes nomes em livros e tirei:
Máscara do tempo
Meteorologia Sentimental
Flores dos meus dedos
República Interior

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Poliamor - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


Algo surge do passado
Neste silêncio que adoro
Para que escrevo o recado
Ao momento que namoro.

Sim, sou eu que aqui estou
A clarear este breu
O ânimo melhorou
Bem melhor ele é-o.

2010-12-16, 21:53 h, Barreiro

o divino do inferno - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


Para viver no real mundo
Vou mais seguro e constante
O que sinto sai do profundo
Dos meus desejos sou amante.

Um pensamento bissetriz
Cria este métrico projeto
Flui do que penso, é a raiz
Põe o que escrevo a descoberto.

Se me distraio num segundo
Caiu num ápice importante
Desponta um poema oriundo
Deste registo ser calmante.

A carne veste o esqueleto
No coração um chamariz
Propalado neste panfleto
Onde o querer é já o fiz.

2010-12-16, Café Nutritiva Moderna, Setúbal

aqui sim sou eu - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


Estar encantado pela vida
E ser dela chegado parceiro
Pô-la no estado de apetecida
Inventar o meu próprio roteiro.

Por todos os cantos há prazer
Tantos dias de nervos espanco
Onde tenho muito pra aprender
Sempre que escapo às visões de santo.

Quando a vida me tentar fugir
Pontapeio-a e num só joelho
Agarro-a. Não a deixo ir!

Pra prosseguir e morrer de velho.

20:26 h, 2010-12-19, Goa 5, Barreiro