sábado, 11 de maio de 2019

volto revolto - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


na insónia viajei sem rumo
só me abandonou na aurora
estou a ver que me acostumo
às delícias desta senhora.

dispôs-me em frasco, em redoma
fê-lo com o maior cuidado
a tender para o moldado
pra libertar o meu aroma
mesmo por fora envidraçado.

se não me queres provar, vou
de volta ao ponto rebuçado
pois da maneira como estou
ainda acabo no salgado.

Sem comentários:

Publicar um comentário