sábado, 11 de maio de 2019

stresse ácido - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


as armaduras interiores
servem para evitar o desgaste
o corpo maltratado é um traste
quando os males permanecem senhores.

ao fim do longe passa uma diva
para ela desloco o pescoço
tanto apetite que esqueço o almoço?
imaginação em roda-viva.

empurro a pulcritude pra um canto
nhac. mas que sabor tão insonso!
como uma antífona faz responso
se me sinto, porque sofro tanto?

Sem comentários:

Publicar um comentário