sexta-feira, 10 de maio de 2019

Rúptil Discórdia- corpo de água poesia heleno pinhal


com lápis, papel e à unhada
minha fiel poesia escrita
relida passa a decorada
diva voz mental és bendita.

o sonho está longe, escarlate
mal o sinto mas não o cerco
quando o não ouço peço cala-te
e abandono-o, nunca o perco.

pueril como uma pena ninho
à volta ao mundo neste poema
às ressacas sem qualquer vinho
recupero deste dilema.

Sem comentários:

Publicar um comentário