sexta-feira, 10 de maio de 2019

Feiura Hamlética - corpo de água poesia heleno pinhal


último registo deste ano
a respirar hilaridade
miniatura de corpo humano
folheado com voracidade.

confidencio com a chuva
e critico como a goteira
subo à carripana da viúva
e vou em maca de enfermeira.

silvas e rosas e com sangue
trio indúvia que me acalenta
um rio de vida que estanque
ou me destrói ou me alimenta.

Sem comentários:

Publicar um comentário