sábado, 11 de maio de 2019

parménides e heráclito - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


questionar a necessidade
libertar-me do que está mal
reemergir da santidade
é a vida com o seu sal.

se eu pudesse, bem que mudava
este invulgar temperamento
para outro mundo atravessava
nem que fosse por pouco tempo.

mas que maldito acostumanço
quase que pareço tolinho
aqui paro, ali avanço
na corda bamba do sozinho.

vou reivindicar santidade
ao meu apelido pinhal
sem perder a integridade
para ganhar potencial.

Sem comentários:

Publicar um comentário