sábado, 12 de janeiro de 2019

Fazer ou Desfazer – Incompleto Organismo de Heleno Pinhal


A vontade diluída na vida foge sem que eu a persiga. Deixa ir. Deixa ir não, onde pensas que vais sem te imiscuíres comigo? Fica sua brisa esgalgada, fica paulatinamente e com reparo para que as plantas que tens em casa não morram à sede com a negligência normal de quem vive. Canta sempre sua existência incumbida, canta lealmente como uma cigarra inofensiva à agricultura, para que os teus sons abram um pão, mesmo do dia anterior, joguem isto lá para dentro e façam comer tudo com os olhos abertos como duas metades de melancia coladas nas paredes murais dum museu de vegetais. Às vezes comemos com o intuito de tudo sair em dois dias, outras achamos que fica cá dentro a preencher o vazio do nosso pensamento. É o último caso, este que aqui apresento.

Sem comentários:

Publicar um comentário