sábado, 11 de maio de 2019

o saci maléfico namora a pigmeia cortês - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


um verso passou por mim
como senhor do querer
porque lhe digo que sim
tendo eu tanto que fazer?

aconchego-o e me impele
a ignorar tanto tédio
o enjoo é irmão dele
para os dois um só remédio.

costas postas na cadeira
braços em cima da mesa
rimas feitas de poeira
pra manter a chama acesa.

Sem comentários:

Publicar um comentário