sexta-feira, 10 de maio de 2019

Introdução - farolas heleno pinhal


Conheci, há uns anos, um contador de histórias que era eu próprio. Por vezes, um corpo com uma criança lá dentro pedia-me para contar a história dos três porquinhos e do lobo mau. Depois de três anos, oito meses, dez dias e algumas horas cansei-me de tanta repetição. Agarrei nos meus dotes digitais e em poucas semanas tinha treze histórias bem contadas em qualquer aparelhagem. Depois o vício do sorrir infantil cravou-se em mim e propus-me repetir a extravagância. Desde então, procurei manter esta parte, este canto pueril que se encurta por falta de espaço adulto no meu coração.
Heleno Pinhal

Sem comentários:

Publicar um comentário