sábado, 11 de maio de 2019

desencaneto - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


a repousar num recanto
de colarinhos no osso
escritos? Nem os ler posso
posso sim, mas desencanto.

e de pálpebras fechadas
sinto tudo mais distante
sinto a vida num instante
cheia de novas passadas.

nesta longínqua tournée
há sempre novos caminhos
a lutar com os velhinhos
sem saber bem o porquê.

Sem comentários:

Publicar um comentário