sexta-feira, 3 de maio de 2019

Comenos XXV - Ilação num brado singelo - Comenos Helenísticos Heleno Pinhal 2003


Autorizo o escorrer das lágrimas no insulamento. Recito o que me quer soltar do peito, mas não para dentro porque assim rebento, lanço-o para fora aliviando o peso que alenta a respiração.
Estou insano, a fatalidade de escrever afoga o meu viver, no entanto, algo continua a gritar dentro de mim:
- Ainda não fizeste tudo. Não basta. Isto não é nada. Não vais suportar. O teu vaso depressa enche e dar-se-á o nascer das trevas ou a entrada no paraíso.
Vá, continua às voltas que hás de cá voltar!

Sem comentários:

Publicar um comentário