sábado, 11 de maio de 2019

alimentar a nostalgia - tu sem mim não sou nada poesia heleno pinhal


marcado por efemeridades
ao fim do dia renascer
pôr de lado contrariedades
ter o que fiz por merecer.

hoje simples, depois complexo
em cada dia o seu encanto
tenho a rebeldia em reflexo
em pés-de-lã e santo espanto.

não há limite na paisagem
para o deleite dos sentidos
num imaginar sem triagem
palavras sem vidros partidos.

e acendidas, todas as velas
parafina, essências, ponto
lindas postas nas janelas
para alumiar o que conto.

Sem comentários:

Publicar um comentário