quarta-feira, 8 de maio de 2019

vileza em pânico - poesia heleno pinhal


mortos, os dias vão voando
os momentos passados doiram
crepitá-los de vez em quando
ensejos estranhos estoiram.

mais sossegado que perverso
menos obtuso que correcto
mio élfico, coro inverso
côncavo toureiro intelecto.

não me sinto mas obedeço
colo sílabas em palavras
existo, acordo e entristeço
em alvas salvas e macabras.

a persistência masoquista
combate pálpebras pesadas
um suporte pára-quedista
lençóis de folhas às ninhadas.

Sem comentários:

Publicar um comentário