quarta-feira, 8 de maio de 2019

plano de contingência - poesia heleno pinhal


acordei sem desejo
virei-me e adormeci
no cérebro um cortejo
como eu nunca previ.

transformo-me em relógio
rodo-o ao contrário
sono vira refúgio
e altera-me o horário.

almofadado, terno
sem poder descansar
há poemas dum inferno
a atacar pelo ar.

Sem comentários:

Publicar um comentário