sábado, 12 de janeiro de 2019

Meia-tinta – Incompleto Organismo de Heleno Pinhal


A mesa não tem mais de cinquenta centímetros de lado. Preta, com manchas embutidas na superfície fria e lisa, tem sobre si uma pilha, guardanapos, um cinzeiro com duas piriscas mortas, uma chávena vazia, tabaco, leitor de mp3 e umas mãos ligadas ao caderno pela ponta que regista. O pôr-do-sol arrasta os corpos para casa, à medida que a manhã de carnaval azula o branco dos montes que protegem esta cidade de oito séculos.
O centro permanece despido da azáfama semanal. A terça-feira gorda não impulsiona devidamente o paladar a seu gosto e às onze horas e onze minutos procuro, discretamente e com lirismo, reagir com a aragem fria e arredondar as vielas para o sol dobrar a esquina com uma maior naturalidade.
2006-02-28, 11:15:28 h, Centro Cívico, Covilhã

Sem comentários:

Publicar um comentário