sexta-feira, 10 de maio de 2019

Ping-pong de humor - corpo de água poesia heleno pinhal


as versalhadas enroladas
nas frementes horas do dia
com dúcteis ânsias malogradas
que todo momento desfia.

quinquilharia tão querida
que ilumina tudo em pavio
carne viva muito em ferida
que me leva por um desvio.

grafonola anda toda em métrica
num ceticismo matemático
nesta folha simples e hermética
onde me descrevo automático.

Sem comentários:

Publicar um comentário