quinta-feira, 9 de maio de 2019

Caderno de Croquis - corpo de água poesia heleno pinhal


folhas soltas de encantos
histórias monstras calem-se
quero assuntos de santos
quanto aos meus medos, matem-se.

a solidão é de álcool
este homem vai cair
vinho virou anzol
jarrado em tinto a rir.

e os outros outros todos
milhões de todos eles
adeptos dos bons modos
correctos, eu um reles.

palavras numa lona
tropeço num segredo
que sempre vem à tona
cravado num rochedo.

perdi o meu espaço
de viver o momento
e feito num pedaço
o mundo é de cinzento.

Sem comentários:

Publicar um comentário