quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

De lado com pessoas – Incompleto Organismo de Heleno Pinhal


Com música no ar as mulheres passam com faguice, a noite quente da Covilhã inebria o ar e a mesa do lado continuar insaciável. Ainda bem para o Ti Horácio!
Longe do enfado do horizontal nestes montes só falamos em mar para entreter o tempo que na Beira Interior passa devagar. Distrai-se resolutamente com a paisagem e fica mais tempo do que é habitual.
Resolvi por estupidez própria ter dois dias num, para viver mais tempo e enganar a morte que cacareja inaudível.
Dezasseis horas e já dirigi as órbitas a trinta corpos da mesma raça que o meu. Agora que me revejo a estalar os lábios desaparafusadamente para sorrir para as faces dos viandantes compreendo a razão do meu recolhimento. Mergulho nas pessoas para desejar o isolamento, distraio-me a exprimir desejos, a cuspir sorrisos e a garatujar panaceias que acredito que destaquem o movimento de certas coisas.
Covilhã, 29 de Setembro de 2004

Sem comentários:

Publicar um comentário