sábado, 12 de janeiro de 2019

Bretanha aveludada – Incompleto Organismo de Heleno Pinhal


Os dias teimam em permanecer suspensos por cima dos pensamentos. A vida altera o sentido. Paradoxos recauchutados tenteando a auto-estima avulso, visionários tresloucados camuflados por aves-do-paraíso estrábicas, música antiga, manhãs libertas, tíbias encanadas nos pés das mesas e o longo dia à espera de ser preenchido.
O gosto de duas acções sobrepostas desvanece-se, o passado tilinta em tricô e o horário amplia os espaços em branco. Logo à tarde, perto da noite, tens de estar em algum lugar, para arregalar os deveres e cuspi-los contra este enguiço panteísta. Personagens lisonjeiras, serviçais, excomungadas, broncas, empertigadas, fantasistas, vistosas e cultas; enredos relançados em espaços entabulados.
Desabotoo a pele, coloco o lápis lá dentro e pestanejo desatento.
2006-04-11 Covilhã, 11:48:37 h, Oriental de São Martinho

Sem comentários:

Publicar um comentário